Sobrenome: Guerreiro. Nome: Sempre

Sobrenome: Guerreiro. Nome: Sempre

“A única coisa que está entre você e o teu objetivo, é a historinha que você continua contando para si mesmo, dos motivos que você não consegue fazer o que precisa ser feito.” ~Jordan Belfort

Nessa semana eu li aprendi uma “técnica” para levantar da cama de um modo mais “fácil”. Era comum eu questionar os motivos reais que me levavam a levantar todos os dias às 5:30, sendo que em alguns dias, eu não tinha dormido o suficiente, outros eu não tinha programado os meus principais objetivos do dia, então eventualmente tinha uma desculpa, que me mantinha dormindo mais tempo.

E isso não acontece só para acordar, mas para fazer qualquer coisa que tire da zona de conforto. Eu penso que essa é a grande questão: algumas pessoas pensam d+, e ficam em loop: faço, não faço, faço, não faço e no fim, a menos que consiga argumentar muito bem com o meu cérebro, acabo NÃO FAZENDO.

E em relação a acordar, é relativamente mais difícil. Não sei o que você sente, mas há muito tempo eu noto que o EU que acorda, não e o mesmo EU que foi dormir. Estudado sobre os níveis de sono, eu entendi que isso de fato ocorre: dormir é como resetar o cérebro.

Sabe quando você está com o computador cheio de janelas abertas, e eventualmente ele pode ficar lento, ou pode até estar “afinado” com apenas o que você precisa usar, e daí você resolve reiniciar ele, tirando a energia, apertando o botão de reset (alguns computadores ainda tem isso), e quando ele religa, o que aparece? O programa padrão. Só (alguns até reabrem todos os programas que estavam abertos, mas não é o comum). Toda aquela motivação que você criou no dia anterior: “amanhã, vou fazer a, b, c, d, e, f, x, y e,z; eu sou motivado, eu sou vencedor, eu sou criador, etc, etc”. Daí você até acorda no horário programado, pensa em a, b, c, d… putz, quanta coisa! Melhor dormir mais um pouco, afinal pra fazer tanta coisa, vou precisar de mais energia… historinha. Talvez você até dialogue consigo: mas eu realmente preciso fazer tudo isso, e tenho que acordar agora!… Como se fosse um jogo de futebol, umas você perde, outras você ganha.

Assim como eu estou satisfeito seguindo um modo de alimentação de comer “comida de verdade”, quando der fome (e não naquela rigidez de comer de 3 em 3 horas), o autor que falou sobre essa “técnica” de acordar, considera que o ideal é fixarmos o horário de acordar, SEMPRE. Esse processo também ajuda a regular o ciclo circadiano (o nosso ciclo horário hormonal). Eu já tinha lido sobre isso artigos de medicina, que o ideal é fixar o horário de acordar, e não o tempo de sono, uma vez que o corpo naturalmente acaba adaptando o tempo necessário para dormir.

Para que isso funcione, o objetivo é dormir sempre quando der sono (nem antes, nem depois). Nesse aspecto, você precisa definir o que é “dar sono” – para alguns pode ser não conseguir mais interpretar um livro, para outros pode ser bocejar, ou então aquela hora que você pensa em se acomodar no sofá (à noite) e o sono começa a vir… esse é o momento. Ah, evite o café após às 16h, pois ele age no corpo como energético a partir da primeira hora após a ingestão, por até 8 horas.

E para acordar? Bom, como eu já comentei, a motivação do dia anterior, no dia seguinte, na maioria das vezes, não tem mais.

O truque que está funcionando muito bem é simplesmente não dar ouvidos à voz interior. O negócio é ouvir o despertador (eu deixo um pouco longe da cama), levantar e seguir o fluxo (vestir, tomar banho, café, o que for), sem dar espaço para questionamentos. Levantar imediatamente. Quanto mais tempo demorar para levantar, começa a racionalizar, e aí é bem possível que volte para a dormir ou até para a cama, como já aconteceu comigo em várias vezes.

O segundo truque é criar o hábito, fazendo isso TODOS os dias. Mesmo sábados e domingos, para criar cadência, e assim fica mais fácil todos os dias, até se tornar prazeiroso. Eu ADORO dormir, mas as coisas com que estou comprometido são mais importantes, então busco uma maneira de impedir que eu sabote as minhas atividades.

Aí você pergunta… tá, mas e nos dias em que eu for dormir muito tarde? Levanta no mesmo horário. A diferença é que o sono vai bater mais cedo. A regulagem do tempo de sono vai acabar sendo no horário de dormir, e você vai fixar o acordar apenas. Então o sono acaba se auto-regulando, pois o organismo entende que o horário de acordar não é negociável, e o de dormir, é quando o corpo demonstrar os sinais.

E se você tiver insônia? Eu não sou médico, nem especialista em sono, e acredito que fixado um horário para acordar, evitando tomar bebidas estimulantes depois das 16h, e limpando as preocupações antes de dormir, vai te ajudar.

Como limpar as preocupações antes de dormir? Existem uma maneira fantástica que eu aprendi: escrevendo em um papel sob a forma de pergunta. Exemplo: como eu posso resolver a questão x? Faz com que isso vá para o subconsciente e ele trabalhe durante o sono para resolver a questão e sob a forma de insights, a resposta apareça durante o dia seguinte.

E se ficar difícil, o Steve Pavlina, autor do livro Pessoas Inteligentes Sabem o que Querem, fala que você pode treinar de dia mesmo: deixe o quarto escuro, vista o pijama ou roupa de dormir, deite-se na cama e acerte o despertador para dali a alguns minutos. Quando ele tocar, faça o procedimento que espera fazer quando for acordar. Repita algumas vezes, como forma de treinar e pré-condicionar um hábito. Assim fica mais fácil fazer no diz seguinte, na hora de levantar de verdade.

E como eu escrevi no início, isso também tem relação com as outras coisas. Usando a mesma forma de pensar/agir, pensei em um pequeno framework para ação:

Objetivo: fazer XYZ

A) Pergunte-se: o que de melhor pode acontecer se fizer XYZ?
B) Pergunte-se: o que de pior pode acontecer se fizer XYZ?

Compare apenas A com B, e vencendo A, não dê tempo para os questionamentos, apenas faça. Igual acordar: não fique se questionando: devo levantar agora ou mais tarde? Ah, mas hoje é Domingo… apenas faça. Sempre.

Em uma floresta aqui perto, aconteceu um causo para refletir. Lá, haviam 3 leões. Certo dia, o macaco, representante eleito dos animais súditos, fez uma reunião com toda a bicharada da floresta e disse:

– Nós, os animais, sabemos que o leão é o rei dos animais, mas há uma dúvida no ar: existem 3 leões fortes. A qual deles nós devemos prestar homenagem? Quem, dentre eles, deverá ser o nosso rei?

Os 3 leões souberam da reunião e comentaram entre si:

– É verdade, a preocupação da bicharada faz sentido, uma floresta não pode ter 3 reis, precisamos saber qual de nós será o escolhido. Mas como descobrir?

Essa era a grande questão: lutar entre si, eles não queriam, pois eram muito amigos. O impasse estava formado. Novamente, todos os animais se reuniram para discutir uma solução para o caso. Depois de um grande brainstorming, eles tiveram uma idéia excelente. O macaco se encontrou com os 3 felinos, e contou o que eles decidiram:

– Senhores leões, encontramos uma solução desafiadora para o problema. A solução está na Montanha Difícil.

– Montanha Difícil? Como assim?

– É simples. Ponderou o macaco.
– Decidimos que vocês 3 deverão escalar a Montanha Difícil. O que atingir o pico primeiro, será consagrado o rei dos reis.

A Montanha Difícil era a mais alta entre todas naquela imensa floresta. Desafio aceito, no dia combinado milhares de animais cercaram a Montanha para assistir a grande escalada.

O primeiro tentou. Não conseguiu. Foi derrotado.

O segundo tentou. Não conseguiu. Foi derrotado.

O terceiro tentou. Não conseguiu. Foi derrotado.

Os animais estavam curiosos e impacientes, afinal, qual deles seria o rei, uma vez que os 3 foram derrotados? Foi nesse momento que uma águia, idosa na idade, e gigante em sabedoria, pediu a palavra:

– Eu sei quem deve ser o rei! Todos os animais fizeram um silêncio de grande expectativa. – A senhora sabe, mas como? Todos gritaram para a Águia. – É simples, – confessou a sábia águia, – eu estava voando entre eles, bem de perto e, quando eles voltaram fracassados para o vale, eu escutei o que cada um deles disse para a montanha.

O primeiro leão disse: – Montanha, você me venceu!

O segundo leão disse: – Montanha, você me venceu!

O terceiro leão também disse: – Montanha, você me venceu, por enquanto! Mas você, montanha, já atingiu seu tamanho final, e eu ainda estou crescendo.

– A diferença, – completou a águia, – é que o terceiro leão teve uma atitude de vencedor diante da derrota, e quem pensa assim é maior que seu problema: é rei de si mesmo, está preparado para ser rei dos outros.

Os animais da floresta aplaudiram entusiasticamente ao terceiro leão que foi coroado rei entre os reis.

Não importa o tamanho de seus problemas ou dificuldades que você tenha; seus problemas, pelo menos na maioria das vezes, já atingiram o nível máximo, MAS VOCÊ CONTINUA CRESCENDO. Você é maior que todos os seus problemas juntos. Você ainda não chegou ao limite de seu potencial e performance. A Montanha das Dificuldades tem tamanho fixo, limitado.

#saiDaMedia

Quer transformar tua vida?
Receba as próximas atualizações direto teu e-mail, e participe gratuitamente de sorteios semanais de livros. ?? LIVRE DE SPAM.

Comentarios

About The Author

Empreendedor em série, graduado em Administração de Empresas, cursou Técnico em Processamento de Dados na UFRGS e Engenharia Elétrica na PUCRS. Atua no mercado de Datacenter/Cloud desde 1998. Fundou a WeBrasil, HostNet e Cyberweb, atualmente controladora da KingHost - provedor de hospedagem de sites com 60 mil clientes. Em 2012, criou a Giga Internet, provedor de internet wireless que atende 15 cidades no Rio Grande do Sul. Em 2016, começou o projeto Riqueza Sem Limites, com visão de exportar inspiração e conhecimento de alto nível para além das fronteiras Brasileiras. Atualmente dedica 50% do tempo para estudar assuntos ligados à neurociência, psicologia comportamental e biohacking.

Related Posts

Leia o post anterior:
Não tenha inveja. Tenha inspiração!

Não é errado ser ambicioso. Errado é não viver a vida que você merece. O Flávio Augusto, uma das atuais...

Fechar
rsl2016mmi