Preenche tua mente com sonhos. E tua agenda com ações

Preenche tua mente com sonhos. E tua agenda com ações.

“Sem SONHOS, não alcançamos nada.
Sem AMOR, não sentimos nada.
Sem DEUS, não somos nada.
Sem FÉ, não fazemos nada.”

Um homem sem ambição é como um pássaro sem asas, é como uma… árvore! Você é uma árvore? Se não gosta de onde está, faz alguma coisa para sair, pois você definitivamente não é uma árvore.

Eu montei um pequeno diagrama para explicar rapidamente qual a ordem das coisas que eu sigo, e que você também pode usar:

1) Escolha quais são os teus sonhos de vida. Quais as 50 coisas que você gostaria de fazer durante a tua vida.

Exemplos: viagens, casamento, filhos, cursos, conhecimentos, profissão, especialização, uma função especial no seu trabalho, abrir uma empresa na área X, ensinar alguma coisa para outras pessoas, escrever um livro, escrever uma história que vire filme, participar de um filme, fazer um filme … lembra: você está aqui baseado no que construiu nos últimos 5 anos. O que você começar a fazer agora, vai te levar onde você vai estar em 2021! Tudo é possível, você tem verdadeiramente, 480 horas por mês para fazer o que quiser em direção aos seus sonhos. O sonho é livre, você não paga por isso. E tudo é possível.

2) Eleja os 3 mais importantes, que você possa começar a trabalhar neles ainda nesta semana.

3) Construa um passo a passo com as ações que vai precisar fazer para chegar ao resultado esperado (o sonho concretizado), que dependam unicamente de você. Não vale “escrever para o Luciano Huck e esperar”. Tem que ser algo que você esteja 100% no teu controle, seja saudável, positivo e mensurável, com data (dia, mês e ano) limite para estar concluído.

4) Acompanhe diária ou semanalmente a conclusão dos passos que você se propôs a executar.

5) Remova os obstáculos, pense sempre na solução dos problemas que vão aparecer. Sempre existe uma solução.

6) Tenha uma pessoa para compartilhar os seus progressos, que vai te incentivar a ser mais, e que você possa fazer o mesmo por ela.

7) Bônus: tente se desligar das notícias, da “crise”, dos assaltos, das pessoas que só falam nisso. Por mais louco que isso possa parecer, no momento em que você passar a ver o lado bom, o lado positivo das pessoas e coisas, para de reclamar da vida, para de criticar as outras pessoas, o foco mental passa a ser em “como fazer isso funcionar, independente das dificuldades”, ao invés de “preciso fazer funcionar senão…”. No momento em que você considera que é possível, torna-se impossível voltar atrás.

O Einstein já tinha dito que “a mente que se abre para uma nova ideia, jamais volta ao seu tamanho original”. Através da ressonância magnética, a medicina já provou que o nosso cérebro se modifica conforme nós mudamos nossos pensamentos, como um músculo: quando mais exercita, mais ele cresce e se desenvolve.

A questão é: que tipo de pensamentos você tem? De riqueza ou de pobreza?

Riqueza = PENSAMENTO -> SENTIMENTO -> AÇÃO -> RESULTADOS -> PENSAMENTO (…)

Pobreza = RESULTADOS SEM AÇÃO, ou SEM PENSAMENTOS, aleatórios, para qualquer lugar, para qualquer caminho, para qualquer direção.

Sabe a tal da ZONA DE CONFORTO? Tem gente que acha boa, afinal é bom viver no conforto da inércia. Nada faço, afinal estou em um patamar aceitável da minha vida. Até quando? Poderia ser melhor? Sempre pode… o T. Harv Eker tem uma frase sensacional, que na verdade ele copiou de outro autor, que diz “na natureza, existem dois estados para as plantas: elas estão crescendo e se desenvolvendo, ou morrendo” – e assim ele diz que acontece conosco. E é fato. Pessoas que estão constantemente se desenvolvendo, estudando, criando, fazendo, executando, não tem depressão. É quimicamente impossível. Se você está no jogo, na ação, sempre buscando mais e validando os teus sucessos, o corpo estará constantemente gerando serotonina e oxitocina, dois hormônios que combatem o cortisol e a adrenalina, hormônios que em excesso, causa a depressão. Essa foi uma relação bem simples, ok? Não tenho formação em psiquiatria, apenas estudei sobre o assunto.

Tem uma imagem que eu vi outro dia, que demonstra a minha idéia sobre a zona de conforto.

Eventualmente podemos estar na nossa Zona de Conforto, e o limite dela é O MEDO. O MEDO do NOVO, do DESCONHECIDO, do que os outros vão falar, da REJEIÇÃO… ultrapassando a linha do MEDO, temos acesso à ZONA onde a MAGIA acontece: novas idéias, novos paradigmas, novas atividades, a nossa expansão.

Tenho alguns amigos que pensam assim: “o que eu quero, é tranquilidade”, “vou me contentar apenas com o necessário”, “o que importa é ter saúde e a família estar unida”.

Olha… na boa, isso é pura MEDIOcridade. Pra que ficar parado, se você pode…

– ter saúde E SER RICO?
– ter momentos de lazer E SER RICO?
– ter momentos de tranquilidade E SER RICO?
– ter uma família unida E SER RICO?

Uma coisa não elimina a outra. Mas o que é realmente preciso fazer? Não aceitar a lei do menor esforço.

É preciso VIVER, e não sobreviver.

Deve ser alérgico à mediocridade: se todos fazem assim, então farei diferente.

Não desejo a você uma vida mediana, mas uma VIDA EXCELENTE, de PERMANENTE CRESCIMENTO, AÇÃO, e MUITO DINHEIRO. Por que ficar só pensando, não vai fazer as coisas cairem do céu.

Ontem eu estava comendo um lanche, quando recebi a história do João e do Mário. João é um importante empresário. Mora em um apartamento de cobertura, na zona nobre da cidade.

Enquanto isso, em bairro mais pobre de outra capital, vive o Mário.

Num belo dia, João deu um longo beijo em sua amada e fez em silêncio a sua oração matinal de agradecimento a Deus pela sua vida, seu trabalho e suas realizações. Após tomar café com a esposa e os filhos, João levou-os ao colégio e se dirigiu a uma de suas empresas. Chegando lá, cumprimentou com um sorriso os funcionários, inclusive Dona Tereza, a faxineira.

Tinha ele inúmeros contratos para assinar, decisões a tomar, reuniões com vários departamentos da empresa, contatos com fornecedores e clientes, mas a primeira coisa que disse para sua secretária foi: “Calma, fazer uma coisa de cada vez, sem stress”. Ao chegar a hora do almoço, ele foi para casa curtir a família. A tarde tomou conhecimento que o faturamento do mês superou os objetivos e mandou anunciar que todos os funcionários teriam gratificações salariais no mês seguinte.

Apesar da sua calma, ou talvez, por causa dela, conseguiu resolver tudo que estava agendado para aquele dia. Como já era sexta-feira, João foi ao supermercado, voltou para casa, saiu com a família para jantar e depois foi dar uma palestra para estudantes, sobre motivação para vencer na vida.

Enquanto isso, em bairro mais pobre de outra capital, vive o Mário. Como fazia em todas as sextas-feiras, Mário foi para o bar jogar sinuca e beber com amigos. Já chegou lá nervoso, pois estava desempregado. Um amigo seu tinha lhe oferecido uma vaga em sua oficina como auxiliar de mecânico, mas ele recusou, alegando não gostar do tipo de trabalho.

Mário não tem filhos e está também sem uma companheira, pois sua terceira mulher, partiu dias antes, dizendo que estava cansada de ser espancada e de viver com um inútil. Ele estava morando de favor, num quarto imundo no porão de uma casa. Naquele dia, Mário bebeu mais algumas, jogou, bebeu, jogou e bebeu até o dono do bar pedir para ele ir embora. Ele pediu para pendurar a sua conta, mas seu crédito havia acabado, então armou uma tremenda confusão… e o dono do bar o colocou para fora.

Sentado na calçada, Mário chorava pensando no que havia se tornado sua vida, quando seu único amigo, o mecânico, apareceu após levá-lo para casa e curando um pouco o porre, ele perguntou a Mário: – “Diga-me por favor, o que fez com que você chegasse até o fundo do poço desta maneira?” Mário então desabafou: – A minha família… Meu pai foi um péssimo exemplo. Ele bebia, batia em minha mãe, não parava em emprego nenhum. Tínhamos uma vida miserável.

Quando minha mãe morreu doente, por falta de condições, eu saí de casa, revoltado com a vida e com o mundo. Tinha um irmão gêmeo, chamado João, que também saiu de casa no mesmo dia, mas foi para um rumo diferente, nunca mais o vi. Deve estar vivendo desta mesma forma.

Enquanto isso, na outra capital, João terminava sua palestra para estudantes. Já estava se despedindo quando um aluno ergueu o braço e lhe fez a seguinte pergunta: – “Diga-me por favor, o que fez com que o senhor chegasse até onde está hoje, um grande empresário e um grande ser humano?” João emocionado, respondeu: – “A minha família. Meu pai foi um péssimo exemplo. Ele bebia, batia em minha mãe, não parava em emprego nenhum. Tínhamos uma vida miserável.

Quando minha mãe morreu, por falta de condições, eu saí de casa, decidido que não seria aquela vida que queria para mim e minha futura família. Tinha um irmão gêmeo, chamado Mário, que também saiu de casa no mesmo dia, mas foi para um rumo diferente, nunca mais o vi. Deve estar vivendo desta mesma forma.

Moral da história: O que aconteceu com você até agora não é o que vai definir o seu futuro, e sim a maneira como você vai reagir a tudo que aconteceu. Sua vida pode ser diferente, não se lamente pelo passado, construa você mesmo o seu futuro. ~Autor desconhecido.

E por último, mas não menos importante:
> ACORDE COM DETERMINAÇÃO
> DURMA COM SATISFAÇÃO

#saiDaMedia #porMaisPostsGigantes

Quer transformar tua vida?
Receba as próximas atualizações direto teu e-mail, e participe gratuitamente de sorteios semanais de livros. ?? LIVRE DE SPAM.

Comentarios

Leia o post anterior:
Não importa o barco que tens, mas o capitão que você é

"Alguns gostam de previsões do futuro. Eu prefiro criar o meu." Eu estava pensando aqui. O que eu quero? O...

Fechar
rsl2016mmi