Não existe isso de ser muito jovem para começar um império. Nem muito velho para perseguir um sonho.

Não existe isso de ser muito jovem para começar um império. Nem muito velho para perseguir um sonho.

“Tem gente que pensa no sucesso e no fracasso como opostos, mas eles são ambos produtos do mesmo processo.” ~Roger Von Oech.

Assim como tem gente que pensa que ter riqueza significa ter dinheiro. A verdade é que o dinheiro é o resultado da riqueza.

Difícil reconhecer e aceitar, mas é os repetitivos fracasso que nos dão estrutura para o sucesso. A velha tentativa e erro. Ao errar e tentar, até acertar, aprendemos muito. Essa é a famosa experiência. Más decisões, amarradas pelos nós das boas decisões, e no fim, constrói-se um ser humano forte e resiliente.

Precisa errar e fracassar para ter sucesso? Não. Você pode errar menos se apoiar-se em mentores. Mentores são pessoas que já passaram por isso antes (o ser humano com sucesso) e se dispõe a ensinar outros a tomar as melhores decisões, baseadas nas experiências deles. Mentores podem ser pessoas que você tem contato direto, ou indireto, pelos livros que eles escreveram.

Diariamente recebo algumas dezenas de mensagens, e pelo menos metade delas, as pessoas me perguntam como compram meu livro ou que livros eu recomendo para elas… bom, o meu livro eu ainda não publiquei, e deve ficar pronto em Setembro. Mas eu posso recomendar alguns livros que eu li, são de fácil leitura, ainda existem no mercado para vender e fizeram muita diferença na minha vida. A parte que eu não entendo da indústria dos livros, é que existe uma grande quantidade de livros excelentes, que não são mais vendidos, e raramente são encontrados inclusive em sebos. Eu diria que alguns dos melhores livros que já li, eu precisei comprar em sebos, por preços acima de 100 reais às vezes. E valeu cada real.

Mas, para ser didático, vou listar aqui 3 dos que eu mais indico, e porque.

1) OS SEGREDOS DA MENTE MILIONÁRIA, do T. Harv Eker – mostra de maneira didática, uma lista de hábitos para você mudar a sua vida e se tornar um milionário. #sqn. O título do livro é puro marketing, o conteúdo é bom, é fato, e ele vai fazer uma incrível diferença quando você ler ele depois da décima vez – e já estiver praticando alguns dos hábitos, principalmente o que diz respeito ao gerenciamento do dinheiro, o famoso sistema de potes (que eu escrevi em https://bit.ly/GeraMoney – o segredo implícito nesse sistema é criar os hábitos, por menores que sejam. Eu, por exemplo, guardo em um pote/cofre, 1 real por dia. Reforça o hábito de investir meu dinheiro para um fundo de liberdade financeira.

2) O PODER DA AÇÃO, do Paulo Vieira – segundo passo da jornada, com o objetivo de ganhar inteligência emocional em uma linguagem fácil e franca, literalmente, fazendo a vida sair do papel. O Paulo cobre alguns pontos descobertos pelo Harv, e reforça outros, em um modelo diferente, mas que você deve decidir qual se adapta melhor à sua situação.

3) A LEI DO TRIUNFO, do Napoleon Hill – contrariando o que eu reclamo de livros bons que param de ser publicados, a primeira edição dele foi em 1946. O livro tem só 70 anos de idade e continua muito atual. O livro parte da pesquisa real do Napoleon Hill, encomendada pelo Andrew Carnegie (o Bill Gates do século passado), sobre o que tinham em comum os maiores ricos da época. De onde vinham, o que comiam, o que faziam, como pensavam… disso surgiram as 16 leis do sucesso segundo Napoleon Hill.

Depois desse, temos outros livros na atualidade construídos no mesmo formato, baseado em entrevistas com milionários ou bilionários da atualidade, e um deles é o Bi.lio.nar.ios, do Ricardo Geromel, excelente livro também. A soma deles serve para formar uma blindagem sobre como de fato pensam e vivem os ricos, e entender que “eles não pensam assim por que são ricos, mas são ricos por que pensam assim”.

E nisso eu retorno pro segundo parágrafo de hoje: riqueza é ter um conjunto de hábitos e ações, que juntos, te fazem rico. Não por que você quer ser rico, mas por que fazendo isso, vai ser a consequência natural… para sempre. Uma pessoa realmente preparada, prospera sem se importar em que direção vai a economia.

O Harv diz ainda que o dinheiro é uma energia que apenas intensificará aquilo que você já é. Se você for arrogante, ele te dará a oportunidade de ser MAIS arrogante. Se você for uma pessoa justa e boa, ele permitirá os meios para ser melhor ainda.

Daí às vezes temos a impressão de que pessoas ricas são más. De que pessoas ricas são ruins. De que pessoas ricas são arrogantes. Sim, existem pessoas ricas e arrogantes, más, ruins… e elas deixarão de ser logo logo, porque a energia não fica muito tempo onde ela é mal utilizada.

Existem também pessoas ricas e generosas. A maioria dos ricos “verdadeiros”, são generosos.

E você precisa escolher qual tipo de rico existe na sua crença, isso pode estar atrapalhando a tua vida. Imagina que você crê que pessoas ricas são ruins. Teu cérebro vai te proteger para que você não seja uma pessoa ruim (digo rica). Sacou a armadilha?

Agora, digamos que você continua não acreditando, por que os teus exemplos de pessoas ricas, são exemplos… ruins. Procure exemplos bons: Bill Gates é o maior filantropo do mundo; Andrew Carnegie foi o maior filantropo da época dele. Os maiores doadores para construção de escolas, combate à doenças complexas, os que ajudam comunidades carentes do mundo com alimentos e saúde, são justamente as pessoas ricas do planeta, justamente porque os medianos mal tem para cuidar de si mesmo.

Agora, independente do seu modelo mental, você prefere ter dinheiro para doar para os outros, ou viver de doações? É muito mais recompensador doar – tempo e dinheiro, pode ter certeza.

E a idade? Essa é uma questão que eu combato forte: cada um tem a sua estrada, o seu caminho, a sua missão, o seu propósito de vida – se você ainda não encontrou o seu, tem um livro muito bom do Bruno Gimenes sobre esse tema. Mas enfim, não compare a sua estrada com a dos outros. Use os exemplos positivos dos outros, mas não se ache menos por não ter alcançado alguma coisa “ainda”. Você só precisa saber que é possível. Assim como o Eduardo Saverin (o sócio Brasileiro do Facebook) ficou Bilionário antes dos 30, o Steve Siebold fez um estudo nos Estados Unidos, com 1200 multi-ricos, onde ele concluiu que quanto mais idade, mais fácil ficar milionário ou bilionário – não porque o cara ficou juntando 1000 reais todo mês, aplicados em uma aplicação que rende 5% ao ano isento de inflação – mas porque tinha mais experiência e mais conhecimento, que um jovem não tem ainda. O Siebold fez +/- o que o Napoleon Hill fez há 90 anos atrás (sim, ele começou bem cedo, mas só publicou o livro no meio da vida), entrevistando centenas de ricos e montando o quebra-cabeça.

“O que o dinheiro significa para mim?”, perguntavam os ricos para Siebold. No começo, ele dizia que é um mal necessário e que você tem de ter dinheiro. Não é divertido, mas você tem de ter dinheiro. Os ricos disseram que “você tem de pensar que o dinheiro significa liberdade, dinheiro significa escolhas e oportunidade. Também significa que você pode viver uma existência sem restrições, se é isso o que você deseja. Você pode fazer o que quiser, com quem quiser, onde quiser e por quanto tempo quiser. É liberdade. Se você começar a pensar em dinheiro dessa maneira, faz sentido”.

#saiDaMedia

Quer transformar tua vida?
Receba as próximas atualizações direto teu e-mail, e participe gratuitamente de sorteios semanais de livros. ?? LIVRE DE SPAM.

Comentarios

Leia o post anterior:
Se você quer ficar rico, não fale sobre a pobreza. Dê importância para o que cresce!

A meta é SER RICO, e não aparentar TER. Imagine-se naquele dia quando você finalmente acorda e reflete consigo mesmo......

Fechar
rsl2016mmi