Eu ganho ou aprendo. Eu nunca perco!

“É bom para comemorar o sucesso, mas é mais importante prestar atenção às lições de fracasso.”
 
“O sucesso é um professor ruim. Ele seduz pessoas inteligentes para pensar que elas não podem perder”
 
“Tente uma, duas, três vezes e se possível tente a quarta, a quinta e quantas vezes for necessário. Só não desista nas primeiras tentativas, a persistência é amiga da conquista. Se você quer chegar aonde a maioria não chega, faça o que a maioria não faz.” ~Bill Gates
 
Não sei exatamente onde aconteceu essa história, mas, em determinado local, tinha um fazendeiro, que tinha um lindo cavalo, e os outros habitantes da região, o invejavam. Eles diziam: “todos deveriam ter um lindo cavalo como aquele”. O fazendeiro respondia… “quem sabe?”. Mas em um certo dia, o cavalo fugiu, e as pessoas da vila disseram: “que azar!”, ao que o fazendeiro respondeu: “quem sabe?”. Após algumas semanas, o cavalo retornou com outros três cavalos selvagens, que o haviam seguido. Os aldeões mal podiam acreditar. “Ele é tão sortudo!”, diziam eles, ao que o fazendeiro continuava a responder apenas: “Quem sabe?”. Um tempo depois, ao tentar domar um dos cavalos selvagens, o filho do fazendeiro caiu e quebrou a perna, o que deixou as pessoas da região, chocadas: “A tua sorte, na verdade te trouxe azar. Se não tivesse estes cavalos selvagens, o teu filho ainda teria saúde e ossos perfeitos”. O fazendeiro, não se importou com os julgamentos e replicou: “Quem sabe?”. Algumas semanas depois, estourou uma guerra e todos os homens jovens da região foram obrigados a se alistar. O filho do fazendeiro, por estar com a perna quebrada em recuperação, teve que permanecer em casa, ficando inclusive chateado, pois fora o único a não ir para a guerra. O pai o consolou, dizendo… “quem sabe?”. Nenhum dos jovens da região que foram para a guerra, sobreviveu, o que levou os aldeões a sussurrarem: “aquele homem tem uma sorte incrível”..
 
Sorte ou azar? Certo ou errado? Bom ou mal? Quem sabe? Classificar tudo como “bom” ou “mal” é uma invenção humana. A natureza não faz isso. Einstein evidenciou que o observador cria a própria realidade, ou seja, o que vemos, só existe por que enxergamos desta maneira.
 
A maneira como nós vemos as coisas, é o modo como reagimos à elas. Se você cria a própria realidade, então por que criar realidades ruins? Por que ver “mal”, se podemos focar no “bom”? Que diferença na nossa vida vai fazer, julgar ou condenar os outros? NENHUMA!
 
E os resultados? Resultados são meras consequências, e independente do resultado, só tem UMA coisa que vai fazer diferença: a maneira como você vai seguir em frente. Se vai se vitimizar, reclamar, julgar, culpar, justificar… ou se vai focar na próxima solução, assumindo total responsabilidade pelo que depende exclusivamente de ti, ou então pelo menos assumir a responsabilidade pelos teus sentimentos em relação ao fato ocorrido?
 
Entendo que em determinadas situações, as circunstâncias “acontecem” contra nós (gerada por uma atração inconsciente), em outras nós as provocamos conscientemente, mas o aprendizado só vai ser gerado baseado na forma como nós continuamos: se vamos usar a experiência do acontecimento para evitar esta circunstância novamente, se vamos recalibrar a mente com uma crença positiva (contrária à que atraiu a situação), se vamos ser emocionalmente resilientes, se vamos agir com calma e sabedoria, se vamos aprender com os erros e colocar na lista dos aprendizados vividos.
 
Existem duas maneiras de aprender:
 
1) Aprender com um mentor, que vai dar o caminho das pedras para fazermos com o mínimo erro, seja com um livro, um filme ou presencialmente.
 
2) Aprender fazendo… acertando ou errando. Mas independente do resultado, tratando como um aprendizado.
 
Isso foi um pouco difícil para eu entender com profundidade: não importa o que vai acontecer, se você segue os seus valores e princípios, não há nada a temer. Caiu? Levanta. Perdeu? Tenho certeza que tens a capacidade de ganhar novamente.
 
A tua situação atual reflete perfeitamente as tuas crenças e valores. Essencialmente, você possui hoje, o que inconscientemente, aceita como sendo como bom e justo.
 
Às vezes, os sentimentos negativos em relação ao dinheiro, a riqueza e a abundância, são mais fortes do que os positivos.
 
Clareza é poder: monitore seus pensamentos e falas: quais pensamentos, sentimentos e falas, estão em desacordo com o sucesso abundante que você está predestinado a ter? Qual o oposto disso? Escreva 100x em um caderno, de próprio punho, a frase oposta (precisa ser 100% positiva). Exemplo:
 
PENSAMENTO RUIM: O dinheiro deixa as pessoas metidas e arrogantes (e ninguém quer parecer metido e arrogante)
FRASE CORRIGIDA: O dinheiro é energia pura, e os verdadeiros ricos são generosos e são os maiores doadores que existem, como exemplo, Bill Gates e Warren Buffet.
 
#saiDaMedia
Quer transformar tua vida?
Receba as próximas atualizações direto teu e-mail, e participe gratuitamente de sorteios semanais de livros. ?? LIVRE DE SPAM.

Comentarios

About The Author

Empreendedor em série, graduado em Administração de Empresas, cursou Técnico em Processamento de Dados na UFRGS e Engenharia Elétrica na PUCRS. Atua no mercado de Datacenter/Cloud desde 1998. Fundou a WeBrasil, HostNet e Cyberweb, atualmente controladora da KingHost - provedor de hospedagem de sites com 60 mil clientes. Em 2012, criou a Giga Internet, provedor de internet wireless que atende 15 cidades no Rio Grande do Sul. Em 2016, começou o projeto Riqueza Sem Limites, com visão de exportar inspiração e conhecimento de alto nível para além das fronteiras Brasileiras. Atualmente dedica 50% do tempo para estudar assuntos ligados à neurociência, psicologia comportamental e biohacking.

Leia o post anterior:
Meu segredo é simples: eu nunca desisto!

O talento não pode substituir a persistência: é comum existir pessoas talentosas e sem sucesso.   A genialidade não pode...

Fechar
rsl2016mmi