Disciplina é fazer o que precisa ser feito, mesmo se a vontade tiver ido dar uma voltinha

O sucesso é um processo lento, e desistir não acelera nada.

Ter força de vontade significa sermos capazes de fazer o que devemos fazer, de forma intencional, vencendo as dificuldades e os estados de desânimo. A força de vontade estabelece uma relação muito forte com a motivação. Motivação, é ter um motivo para a ação, e a ação terá tanto mais força quanto maior for a disciplina que você tiver. Juntando os conceitos:

MOTIVAÇÃO -> FORÇA DE VONTADE -> AÇÃO + DISCIPLINA

A disciplina guia a ação para que os objetivos sejam atingidos de acordo com a idéia inicial.

Você já deve ter ouvido falar que ficar imaginando, planejando, mas não fazendo, não leva a lugar algum. A ação orientada pela disciplina, empurrada pela força de vontade e empoderada pela motivação, é capaz de gerar resultados extraordinários.

Para melhorarmos a nossa força de vontade, devemos nos munir da nossa melhor aliada, a auto-disciplina. A auto-disciplina confere a capacidade de suportar privações e dificuldades – física, emocional ou mental. Ela concede a possibilidade de rejeitar a satisfação imediata, a fim de obter algo melhor, mas que exige esforço e tempo. É a capacidade de adiar uma recompensa imediata, para se obter uma recompensa maior, melhor, mas depois.

Sabe aquele negócio de comprar as coisas parceladas em trocentas vezes? E com Juros? Vamos lá, mesmo sem juros…

O esquema é o seguinte: tudo isso gira em torno do mindset. O mindset é a forma como nós pensamos (como eu penso, é o meu mindset, como você pensa é o seu mindset). Considere que mindset = mind + set = configuração da mente. Ok, entendido esse passo, imagine que você está constantemente reprogramando a sua mente, e baseado nessas programações, é a maneira como você age. Lembra que o T. Harv Eker e vários autores tem aquela regrinha básica (Pensamentos -> Sentimentos -> Crenças -> Ações -> Resultados -> Pensamentos…). Logo, a forma como você pensa, é como você sente, e o que você sente, gera suas crenças, baseado nas quais, você age.

Segundo as pesquisas mais recentes em neuropsicologia, quando você adquire um bem parcelado, está dizendo para o seu cérebro que você deseja prazer imediato. Quando você repete essa informação (com compras e mais compras parceladas, independente se são com juros ou sem juros), você reforça esse pensamento: eu quero prazer imediato, não importa quanto me custe no longo prazo. E pior: você informa para o seu cérebro que você não tem capacidade de comprar aquilo que você quer e mesmo assim, você vai comprar, por que se tivesse capacidade, teria pago à vista.

Não vou discutir aqui sobre os ganhos financeiros que você pode ter comprando a prazo sem juros enquanto seu dinheiro fica rendendo, aplicado, por que nesse caso, se você é esse tipo de pessoa, além de ser minioria, o mindset é outro e provavelmente é blindado contra este problema.

Bom, o caso é que diversas informações de incapacidade + prazer imediato acabam moldando as tuas ações, e chega uma hora que você conscientemente começa a acreditar que não é capaz de comprar à vista e pior: começa a parcelar as coisas mesmo com juros, e sem uma disciplina financeira, pode inclusive começar a gastar muito mais do que o seu orçamento, afinal que mal tem em uma prestaçãozinha de 100 reais? E se forem 20 prestaçõeszinhas de 100 reais? Então, aqui mora o perigo.

Agora pensa comigo… como seria o comportamento oposto? Seria comprar tudo à vista. Comprando à vista, pesam duas coisas:

1) eu realmente preciso disso agora?
2) as compras podem ser planejadas
3) você não paga juros abusivos para bancos, financeiras ou lojas
4) você não corre o risco de atrasar parcelas e pagar mais multa e juros
5) eu considero a mais importante: para os bens de maior valor, você passa a fazer uma poupança, ou seja, passa de uma mentalidade de devedor para investidor, comprando à vista o bem, e ganhando juros durante os meses em que investe o dinheiro que será usado para a aquisição.

Você acha que as pessoas verdadeiramente ricas possuem mentalidade de devedor ou de investidor? Falo das verdadeiramente ricas, não as que parecem ricas.

Você se sente mais confortável e tranquilo com uma poupança de 10 mil reais ou devendo 10 mil reais em prestações (da tv, do carro, do celular, do note, do tablet, das férias do ano passado, do sofá novo)?

#saiDaMedia

BOM DOMINGO!

Quer transformar tua vida?
Receba as próximas atualizações direto teu e-mail, e participe gratuitamente de sorteios semanais de livros. ?? LIVRE DE SPAM.

Comentarios

About The Author

Empreendedor em série, graduado em Administração de Empresas, cursou Técnico em Processamento de Dados na UFRGS e Engenharia Elétrica na PUCRS. Atua no mercado de Datacenter/Cloud desde 1998. Fundou a WeBrasil, HostNet e Cyberweb, atualmente controladora da KingHost - provedor de hospedagem de sites com 60 mil clientes. Em 2012, criou a Giga Internet, provedor de internet wireless que atende 15 cidades no Rio Grande do Sul. Em 2016, começou o projeto Riqueza Sem Limites, com visão de exportar inspiração e conhecimento de alto nível para além das fronteiras Brasileiras. Atualmente dedica 50% do tempo para estudar assuntos ligados à neurociência, psicologia comportamental e biohacking.

Related Posts

Leia o post anterior:
Para os invejosos, tenho más notícias: tudo está indo muito bem, para mim!

"Você não vale pelo que tem, nem pelo que aparenta. Você vale pelo que é, pela forma como pensa e...

Fechar
rsl2016mmi