Código de Honra: por que você precisa criar um agora – Parte 1

Meu leitor, eu falhei… depois de 4 meses fazendo posts regulares semanalmente, neste Setembro eu acabei procrastinando esse post por vários dias, mesmo tendo conhecimento sobre o assunto e, depois de ter entendido, considerar de suma importância para alguém que, como eu e você, buscamos por um sucesso estrondoso na vida – ou não tão estrondoso, afinal cada um tem os seus objetivos; e alguns nem sabem o que querem ainda.

E para explorar melhor o assunto, eu vou dividir em 2 partes:

  • Explicação do Código de Honra e por que eu penso ser um assunto de suma importância (Parte 1)

Então vamos lá.

Origem do Código de Honra

O Código de Honra tem sua origem mais conhecida nos Samurais. Os guerreiros tinham um código de conduta, o “O Bushidô” (武士道) ou “O Caminho do Guerreiro”. Este código de ética dos samurais tinha, para os guerreiros, mais força que as próprias leis do Japão. Ele era transmitido oralmente e todos os clãs de samurais o seguiam. Para quem seguia o Bushidô, o objetivo de vida era ter uma morte honrosa. Acontece que por quase oito séculos, os clãs de samurais estiveram em constantes conflitos, entrando e saindo de guerras. Por isso, era preciso viver cada momento como se fosse o último. Tudo tinha de ser feito com o máximo empenho. Apesar de ser um conceito muito antigo, muitos dos princípios do Bushidô podem ser adotados no nosso dia-a-dia para levarmos uma vida melhor, mais justa e nos tornarmos pessoas melhores.

Por que é importante?

Em muitos mitos, como os gregos ou as histórias dos cavaleiros medievais, antes de se começar uma viagem ou uma cruzada, eles tinham que ter em mente pelo menos duas questões essenciais:

  • Qual objetivo da missão?
  • Qual o Código de Honra?

E estas questões são aplicáveis na nossa vida: desde o objetivo de vida (o propósito), até os projetos do trabalho e os objetivos na família, que podem ser comparados com uma missão. A diferença entre determinar um objetivo e não determinar um objetivo é simples: quando você sabe aonde quer chegar, fica mais fácil tomar os melhores caminhos, e quando você não sabe aonde quer chegar, qualquer lugar serve, como o gato disse para Alice, no País das Maravilhas. Só que na vida, qualquer lugar é para onde os outros acabam induzindo que você vá, e talvez isso até seja bom, ou ruim, em todo caso não importa, pois se vai para qualquer lugar, você definitivamente não está escolhendo qual caminho tomar.

 

O que você procura – o objetivo da missão -, e a intenção por trás dessa busca deve algo muito claro, de modo que você possa reconhecer o sucesso pessoal quando tiver conquistado. Afinal se você não sabe o que quer, mesmo que por um algoritmo completamente aleatório de empurra-empurra você atingir ou ultrapassar, não saberá quando ocorrer, pois não foi marcado o alvo, então talvez você seja muito bem sucedido hoje e nem saiba disso, pois não determinou o que é ser bem sucedido.

Dizer “eu simplesmente procuro ser feliz” com a intenção de evitar a dor, irá resultar em um caminho muito diferente do que se disser “eu procuro entender o que me faz feliz, e seguir isso”, que gera um resultado muito mais consciente, determinado e de clareza.

Pensando no seu Código de Honra

Um Código de Honra é um conjunto de regras que usamos para viver a vida, seja na individualidade, na família, em grupos, na empresa onde trabalho, ou no meu setor onde trabalho. É muito louco, mas imagina que cada dia da vida é uma viagem para o desconhecido. Em cada novo dia que você acorda, coisas novas acontecerão, pessoas novas vão cruzar o teu caminho, irá interagir com visões diferentes, opiniões diferentes, e você poderá receber propostas, que terá que ser capaz de avaliar. E aqui entra o Código de Honra.

O Código de Honra protege o que é mais sagrado para o ser: os princípios éticos, morais e filosóficos pelos quais não abrimos mão por nada no mundo quando deparamos com situações de decisão. Estes princípios são o que sentimos que garantem a nossa integridade da nossa verdade pessoal em qualquer situação.

Algo que deve ficar muito claro é que o seu Código de Honra é algo que você cria. Não é dado a você, nem imposto a você por outra pessoa, não importa quem seja, ou o quão importante essa pessoa seja em sua vida.

Todos nós fomos criados com um determinado conjunto de princípios éticos e morais. Fomos ensinados baseado em um conjunto de princípios de cultura, sociedade e religião que já existiam. Por outro lado, também temos um conjunto de valores pessoais e éticos que levamos conosco, que podem ou não ser reflexo da cultura que fomos expostos.

 

Podemos ter aprendido um determinado conjunto de princípios e códigos morais, reflexo do ambiente em que vivemos, mas também temos um código interno mais profundo, que se encaixa na nossa maneira preferida de ser e existir no mundo.

Você percebe que funciona existe um caminho lógico de aquisição de princípios?

NASCIMENTO => +VALORES DOS NOSSOS PAIS => +PRINCÍPIOS DOS NOSSOS PAIS => NOSSOS VALORES => PRINCÍPIOS INTERNOS INQUEBRÁVEIS => CÓDIGO DE HONRA

Algumas questões para pensar:

  • Qual é o seu Código de Honra?
  • Como efetivamente você é capaz de vivencia-lo no mundo em que você vive?
  • Você está disposto a viver o seu código de honra, mesmo que isso vá contra a sociedade em que você vive?

Isso por que às vezes o nosso Código de Honra vai muito além da sociedade, podendo ser imoral perante um grupo a que pertencemos, ou podendo a sociedade ser imoral perante o nosso Código de Honra.

O Código de Honra é formado por esses princípios, crenças e os valores que consideramos sagrados, que você nunca irá violar. E estes não são necessariamente, os princípios que foram ensinados ou dados a você por alguém, pois são os princípios que você mesmo sentiu que deve seguir, que foram moldados por você durante o seu desenvolvimento pessoal. E não há nada de errado nisso, muito menos em eventualmente, corrigir uma ou outra regra, para que faça mais sentido para você.

Você precisa entender que o Código de Honra vai definir as condições que limitarão o potencial de opções disponíveis para você. Talvez, ao criar o Código de Honra, você poderá excluir da sua vida algumas pessoas, lugares ou oportunidades, pois podem não estar adequados para as regras que você determinar para seguir. A criação de um Código de Honra requer um esforço mental para saber o que você realmente quer de verdade, e também o que você não quer, o que você quer bem longe, de preferência no fundo do oceano.

Limitar nesse caso, significa dar foco – focar no que você quer de fato viver. No mundo da era da informação, temos acesso a milhares de pessoas instantaneamente pelas mídias sociais, gadgets, aparelhos eletrônicos, a oportunidades infinitas para ganhar dinheiro ou trabalhar no emprego dos sonhos, e viver sem foco nessa era, significa viver perdido. Perdido por que dentre milhares de caminhos disponíveis todos os dias, se não tivermos um conjunto restritivo de regras que nos leve para onde queremos realmente, verdadeiramente chegar, será muito mais difícil. Você pode testar se quiser, mas experimenta olhar para uma avenida movimentada, em horário de alto tráfego, e procure por um Fiat Uno Azul… o que acontece com os outros carros? Eles magicamente desaparecem… tudo que não for Fiat Uno Azul, some da visão. Esse é o poder do foco: excluir tudo que for irrelevante e mirar toda a energia no que realmente importa, para chegar no resultado que queremos.

Ao ter um Código de Honra, você vai sentir esse foco, poder, propósito e paixão, pois vai recusar tudo o que não fizer sentido para você, o Código de Honra age como um poderoso filtro de decisão: o que fazer e o que não fazer perante decisões fáceis ou difíceis do dia a dia, com objetivo de chegar à um resultado, seja ele qual for. E você poderá adicionar novas regras ou alterá-lo sempre que desejar, afinal somos seres humanos em evolução, podemos mudar nossos princípios, e devemos adaptar as regras que seguimos para que não limitem o nosso crescimento.

O Código de Honra torna-se essencial para evitar que dores do passado voltem a influenciar negativamente a nossa vida atual. Vou falar mais sobre essa parte na próxima parte do post.

O nosso Código de Honra deve refletir com precisão quem e o que pensamos que somos, sem negar a verdade do ser.

Níveis de Código de Honra

  • Você deve ter um Código de Honra pessoal, intransferível (mas mutável);
  • Se você for casada(o), crie um com seu marido ou esposa, o Código de Honra do casal;
  • Você pode criar um Código de Honra na sua empresa
  • Você pode criar um Código de Honra no seu setor

E por que isso? Por que o Código de Honra é como um pacto, mantém unidas as pessoas dentro daquelas regras. Agora o mais importante: ele deve ser inquebrável.

Conheça os 7 princípios do Bushidô, o código de honra dos samurais:

Virtudes do Bushido

  • 義 Gi – Justiça, Retidão e Honestidade

    Seja honesto em todas as suas relações. Acredite na Justiça, não a que é dada pelos outros, e sim na sua própria justiça. Para um autêntico samurai não existem tons de cinza em relação à honestidade e justiça. Só existe o certo e o errado. E pra ser justo é necessário fazer o julgamento correto em relação à tudo em sua vida.

  • 勇 Yuu – Coragem, Bravura heroica

    Um samurai deve ter coragem heroica. Viver é arriscado e perigoso e esconder-se como uma tartaruga se esconde em sua concha não é a maneira mais adequada de viver. Devemos aprender a viver a vida ao máximo, intensamente. Substitua o medo pelo respeito e cautela. A coragem heroica não é cega, ela é inteligente e forte

  • 仁 Jin – Compaixão, Benevolência

    Através de um treinamento intenso, o samurai torna-se rápido e forte, porém ele usa essas habilidades para fazer o bem para as pessoas e tem compaixão por elas. Amor, amizade, solidariedade e nobreza de sentimentos são considerados como os maiores atributos da alma. Ajude seus colegas em todas as oportunidades que houver.

  • 礼 Rei – Respeito, Polidez e Cortesia

    O Samurai não tem nenhuma razão para ser cruel. Não há necessidade de provar a sua força. Um samurai é cortês até mesmo para com os seus inimigos. Se não fosse assim, ele não seria melhor do que qualquer animal. Um samurai é respeitado não só por sua coragem, mas também pela forma como eles tratam os outros.

  • 诚 Makoto – Honestidade, sinceridade absoluta

    Mentir é um ato considerado covarde e desonroso e portanto quando um samurai diz que vai fazer tal coisa, é como se ele já tivesse feito. Nada no mundo conseguirá impedi-lo de concretizar o que disse. Um samurai não precisa dar a sua palavra e nem precisa prometer nada. Quando um samurai fala, é porque ele vai agir.

  • 名誉 Meiyo – Honra, Glória

    O verdadeiro samurai só tem um juiz de sua honra, e este juiz é ele mesmo. As escolhas que você faz e como você trabalha para obtê-las são um reflexo de quem você realmente é. Você não pode se esconder de si mesmo. Muitas das nossas decisões são influenciadas pelos outros, o que nos faz parecer hipócritas.

    Dizemos muitas vezes o que os outros querem que digamos, vemos o que os outros querem que vejamos. Ouvimos o que os outros querem que ouçamos. O valor da nossa dignidade pessoal está implícito na palavra honra. “Desonra é como uma cicatriz em uma árvore que o tempo, em vez de curar, só ajuda a aumentar.”

  • 忠 Chuu – Dever e Lealdade

    Um samurai é extremamente leal àqueles que estão sob seus cuidados. Por quem ele é responsável, ele permanece fiel. Suas palavras e suas ações pertencem à você, assim como todas as consequências que se seguem a partir delas. “A palavra de um homem deve ser como sua impressão digital: Você deve levá-la aonde quer que vá”.

Esses são os 7 princípios do Código de Conduta Bushido, que  foi formado e influenciado pelos conceitos do Budismo, Xintoísmo e Confucionismo.

No próximo post, vou colocar outros exemplos para te ajudar a montar o teu próprio Código de Honra.

Fonte: Japão em Foco

 

 

 

Quer transformar tua vida?
Receba as próximas atualizações direto teu e-mail, e participe gratuitamente de sorteios semanais de livros. ?? LIVRE DE SPAM.

Comentarios

About The Author

Empreendedor em série, graduado em Administração de Empresas, cursou Técnico em Processamento de Dados na UFRGS e Engenharia Elétrica na PUCRS. Atua no mercado de Datacenter/Cloud desde 1998. Fundou a WeBrasil, HostNet e Cyberweb, atualmente controladora da KingHost - provedor de hospedagem de sites com 60 mil clientes. Em 2012, criou a Giga Internet, provedor de internet wireless que atende 15 cidades no Rio Grande do Sul. Em 2016, começou o projeto Riqueza Sem Limites, com visão de exportar inspiração e conhecimento de alto nível para além das fronteiras Brasileiras. Atualmente dedica 50% do tempo para estudar assuntos ligados à neurociência, psicologia comportamental e biohacking.

Related Posts

rsl2016mmi